Escolha uma Página

Essências ou Árvores Nativas

O paisagismo urbano é grande consumidor de mudas de árvores nativas e exóticas. Normalmente essas mudas são produzidas por viveiros públicos. Recentemente o incentivo a implantação de viveiros particulares e a preocupação em introduzir no ambiente urbano espécies nativas de nossas matas tem diversificado a produção de mudas das chamadas essências nativas. Emerge também o mercado do reflorestamento com espécies nativas, recuperando áreas degradadas com nossas árvores. Grande parte dessas árvores são também plantadas em parques públicos ou privados, além do reflorestamento de propriedades rurais.

Bagas maduras de mogno. Árvores nativas e madeira de lei

Mogno (Swietenia macrophylla)

As espécies nativas do cerrado são plantas rústicas e adaptadas, acostumadas a solos pouco férteis e carentes de água. A produção de espécies nativas pode ser uma atividade economicamente viável, desde que seja feita de forma planejada. Em pequenas propriedades, pode ser implantado viveiro para produção de mudas para plantio local. É uma atividade fundamental nas ecovilas, dentro do projeto de transformação do local em floresta de alimentos, com benefícios que vão desde o enriquecimento da fauna até o aumento do volume de água das nascentes.

Sementes de Árvores Nativas

Nossas árvores produzem grande quantidade de sementes todos os anos. Observando as árvores plantadas no paisagismo urbano de nossas cidades, é possível colher grande quantidade de sementes viáveis. Algumas espécies podem ser colhidas no chão, outras precisarão de um pequeno cesto para colheita de frutos. As bagas dos ipês podem ser colhidas quando começarem a secar, antes da abertura que permitirá que suas sementes leves sejam propagadas pelo vento. Colocar as bagas para secar na sombra até que se abram totalmente. As sementes dos ipês, depois de colhidas, tem vida curta. A conservação das sementes dos ipês pode ser feita colocando o saco plástico fechado com as sementes dentro do gavetão da geladeira. Conseguimos um bom nível de germinação com sementes conservadas dessa maneira, meses depois de colhidas.

Árvores Nativas: Ingá

Ingá (Inga Edulis)

Espécies como o Jucá e o Pau Ferro tem maior durabilidade. As bagas rígidas podem ser colhidas no chão, em volta da planta e quebradas para liberação das sementes. O mesmo pode ser feito com o Jatobá e o Guapuruvu. Essas sementes tem uma casca dura e devem ser escarificadas antes do plantio. Raspe a semente no cimento grosso até aparecer a polpa branca, antes de plantar.
Os ingás devem ser plantados imediatamente após a colheita das sementes, especialmente o Ingá de metro, que tem uma polpa saborosa, levemente adocicada. Se você não conhece nossas árvores, pode consultar um manual sobre o assunto para aprender a identificá-las. Temos publicações da mais alta qualidade sobre nossas árvores nativas, com destaque para os manuais do Instituto Plantarum, que podem ser adquiridos pelos correios. A identificação pode ser feita pelo formato da árvore, por suas folhas, flores, frutos ou sementes.

Pioneiras

As árvores pioneiras são espécies de germinação e crescimento rápido. Esse extrato sobe mais rápido para criar um ambiente para espécies mais longevas, chamadas de clímax. Coletar sementes e plantar nossas árvores nativas é uma atividade única. Nada substitui a sensação de ver uma árvore gigantesca que você mesmo plantou.

Árvores Nativas: Mulungu

Mulungu (Eritrina verna)

Fazendo Mudas

Fazer as mudas é muito fácil. Muitas delas podem ser plantadas direto em canteiros no sol e transplantadas quando atingirem cerca de 5 cm de altura. Lembrando que o transplante para os saquinhos deve ser feito em dias com temperaturas amenas, no final da tarde, e os saquinhos devem ficar em ambiente sombreado com bom teor de umidade para que a mudinha não seque.

As sementes podem ser plantadas diretamente nos saquinhos, protegidos do sol. Misturar terra, matéria orgânica e esterco animal para enchimento dos saquinhos. Colocar 3 sementes por saquinho e manter a umidade. Desbastar quando as plantas atingirem cerca de 5 cm de altura, deixando a planta mais vigorosa. Cuidar da muda até que atinja a altura para plantio, que vai variar de espécie para espécie.

Lembrando que as espécies plantadas no cerrado precisam de cuidados nas duas primeiras secas, como capinas na coroa e irrigação. Infelizmente, muitas mudas plantadas no cerrado morrem na primeira seca, por falta de cuidados. Quanto mais vigorosa for a muda, maiores chances de sobreviver e se transformar em uma grande árvore. Grandes árvores, uma riqueza que podemos deixar para as futuras gerações. Leia nossa matéria sobre os Ipês, árvores nativas que produzem flores exuberantes.

Translate »
error: Não copie, compartilhe !!!

Pin It on Pinterest

Share This