Escolha uma Página

As Flores Exuberantes dos Ipês

Os ipês estão dispersos por quase todo o país. Muitas espécies que produzem flores amarelas, roxas, rosas e brancas são nativas do Brasil. São árvores de grande porte que gostam de calor e sol pleno. Os ipês são caducifolias, ou seja, perdem todas as folhas que são substituídas por cachos de flores de cores intensas.

As floradas ocorrem entre junho e novembro. Primeiro o roxo e o rosa, depois o amarelo e por último o branco. As flores caem durante uma semana, forrando o chão com a cor característica da árvore.  Suas sementes saem das bagas que secam, voando com o vento em direção a um local apropriado para germinar.

No cerrado, as cores fortes de suas flores suavizam os efeitos da seca intensa nessa época do ano. As cores contrastam com o céu azul intenso do planalto central. Os ipês roxos e rosa terminam sua florada em meados de julho e são substituídos pelos amarelos, seguidos dos brancos.

Ipês roxos

Ipê Roxo

O ipê roxo, cujo nome científico é Tabebuia Impetiginosa, produz uma madeira de excelente qualidade, usado para várias finalidades, incluindo instrumentos musicais. Sua casca produz substâncias para uso medicinal usadas no combate ao câncer. Ótima opção para o paisagismo urbano, cresce relativamente rápido e sua floração exuberante atrai muitos insetos e outros polinizadores. Deve ser plantado a sol pleno, gosta de calor que acelera o seu crescimento. Multiplica-se por estacas ou por sementes.

Ipê rosa

Ipê Rosa

Árvore clímax que chega a atingir 20 metros de altura quando adulta. Produz madeira resistente, durável e pesada. Sua floração, como os outros de sua espécie, é de radiosa beleza e um dos mais populares no paisagismo urbano. Muito usada em reflorestamentos mistos para recomposição de áreas degradadas de preservação permanente.

Ipê amarelo

Ipê Amarelo

Tabebuia chrysotricha, árvore de casca grossa, ocorre do Espírito Santo até Santa Catarina. Quanto mais seco e frio o inverno, maior a densidade da florada. Suas flores atraem abelhas e beija-flores, alguns de seus polinizadores. Sua floração, cobre a árvore e posteriormente o chão, formando tapete de cor intensa sobre o asfalto.

A árvore pode chegar a 10 metros de altura, ocorre principalmente na floresta pluvial atlântica. Sua madeira é moderadamente pesada, dura de serrar e de grande durabilidade, muito usada para obras externas. Muito cultivada no paisagismo urbano devido ao seu pequeno porte em relação às outras árvores da espécie. Existe uma lei que decreta essa espécie como a árvore símbolo do Brasil.

Ipê branco

Ipê Branco

Seu nome científico é Tabebuia roseo-alba, também de floração exuberante é a última das árvores da espécie a florir. Essa árvore é nativa do cerrado e do pantanal, podendo chegar a 16 metros de altura quando adulta. Florada no final do inverno e início da primavera. Árvore de grande valor ornamental. Madeira de excelente durabilidade. Planta rústica pouco exigente em fertilidade, sendo uma boa opção para recuperação de áreas degradadas. Sua multiplicação pode ser feita por sementes, plantadas em saquinhos, preenchidos com matéria orgânica, ou direto em canteiros, para posterior replantio.

Plantio

Produzem grande quantidade de sementes. Suas bagas se abrem quando ressecam e liberam as sementes que são levadas pelo vento. Suas sementes são leves e podem ser armazenadas na geladeira, depois de colhidas, pois perdem gradativamente sua capacidade germinativa. Bagas maduras que ainda não secaram podem ser colhidas e colocadas na sombra para liberação das sementes. Plantar de duas as três sementes por saquinho ou direto no canteiro rico em matéria orgânica e bom teor de umidade durante as primeiras semanas.

Todas as espécies podem ter seu crescimento acelerado, enquanto mudas, no viveiro coberto de filme plástico, sem sombrite, a sol pleno. O calor dentro da estufa, que chega a passar de 40 graus favorece o crescimento das mudas, que devem ser regadas nas horas de temperatura mais amena, no início e final do dia.

O transplante deve ser feito, no caso do plantio das sementes em canteiros, para os saquinhos ou tubetes quando as mudinhas atingirem 5 cms, na sombra e em dias de temperatura mais amena. A rega deve ser intensa nesses dias para que as plantas não sintam o transplante e continuem seu ciclo de crescimento.

Leia também nossa matéria sobre as árvores nativas.

Translate »